segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Crise de ciúmes


Fazia muito tempo que eu não enfrentava uma crise de ciúmes. Acho que desde os tempos que eu era solteiro, e olha que esse tempo vai longe. E, desde aquele tempo, eu nunca soube lidar muito bem com esse sentimento, admito que seja uma falha grave na minha formação amorosa. Acredito que, pelo fato de eu nunca ter sido um cara ciumento, eu nunca consegui entender muito bem a que se referia esse tipo de reação. Para mim, se a pessoa confia em você ela não precisa ter ciúmes. Se não confia, não adianta mais nada ter ciúmes.

Uma vez, pesquisando sobre outro assunto, descobri que o ciúme é classificado como paranóia, uma entidade clínica caracterizada, essencialmente, pelo desenvolvimento de um sistema delirante duradouro e inabalável onde, apesar desses delírios, há uma curiosa manutenção da clareza e da ordem do pensamento, da vontade e da ação, ou seja, ao contrário do que se pode imaginar é um delírio bem organizado, ainda que apoiado numa idéia falsa não sujeita a discussão racional.

O mais conhecido dos delírios persistentes é tipo persecutório, o que, inclusive, transformou popularmente a palavra paranóia em sinônimo de mania de perseguição. O delírio persecutório costuma envolver a crença de estar sendo vítima de conspiração, traição, espionagem, perseguição, envenenamento ou intoxicação com drogas ou estar sendo alvo de comentários maliciosos, o ciúme faz parte desse grupo de delírio persecutórios, assim como a megalomania.

Felizmente não existe nenhum Iago por perto para instigar ainda mais essa questão. Senão eu correria riscos sérios. Até porque não pretendo me auto censurar nas insanidades que cometo, o blog perderia o seu sentido. Mas deixo uma explícita declaração de amor para aplacar os ânimos (ufa !!)


Monotonia Quebrada

Os amores são os mesmos
Os sentimentos os mesmos
As vontades são as mesmas
Tudo é igual

Porque as pessoas são as mesmas
As idéias são as mesmas
Os preconceitos os mesmos
Porque todos são iguais.

Mas, de repente,
Quebrou-se a monotonia
Cansativa e aborrecida.
Porque te descobri
e você é diferente
e porque te amo

Diferentemente
Verdadeiramente.

7 comentários:

Taty disse...

Eu assumo que tenho ciúmes, ciúmes de quem gosto e do que gosto, mas não a ponto de fazer loucuras ( mas já pensei em algumas ). É um ciúmes gostoso, mesmo que me leve à fúria momentânea.
Agora quanto a ciúmes doentio como você escreveu, afe! to fora! isso me lembra a paranóia do filme Atração Fatal. Mas xingar, bater, espernear na hora e ter consciência disto é bom...a alma agradece e nada melhor do que alma lavada.
Engraçado, lembrando de um texto postado anteriormente sobre os homens deixo uma pergunta: por que as mulheres demonstram e assumem o cúmes bem mais do que os homens? Será que mais uma vez a sociedade ensinou que os seres do sexo masculino não podem demonstrar este sentimento e que este estado de espírito é rotulado como fraqueza feminina?
Ciúmes gostoso com ligeira raivinha é gostoso; ciúmes paranóico é caso de internação!
Ah! agora lembrei de uma canção do Roberto Carlos: mas é ciúmes, ciúmes de você ( não lembro o resto! )

Pessoa Comun disse...

Querido amigo,
Esqueceu de dizer que não é apenas uma questão de confiança,ciúme envolve tb frustração qe ao menos no meu caso pesa muiiiiiiiiito mais.Mas relaxa.Ciúme tem lá seu lado bom, sou otimista...Quanto ao comentário de sua outra leitora, palpitando aqui, homens demonstram menos ciúme, por terem outro sentimento,Orgulho...dar o braço a torcer? jamé rsrssr, mas deixa isso de lado que isto tá virando um desfile de pecados e fraquezas humanas...
Bom Dia..sempre bom te ler

Vilma disse...

Ciúmes, também tenho às vezes, mas sempre penso numa frase que traz a racionalidade: seria o objeto do meu ciúme digno dele? não estaria supervalrizando alguém que é nada mais nada menos do que eu, que tem direito a amar pessoas e coisas diferentes além de mim? Se poda-lo, não será mais ele mesmo, então, o amor que tenho por ele lhe será estranho, mas que é gostoso ter ciúmes,ah! isso é.

Vilma disse...

Hoje tô quase uma madre Tereza... ahuahuahau

Lou Mello disse...

Ciúmes, para quem sente, é péssimo. Ser objeto de ciúmes também não é legal. Sua origem deve ser inter-planetária. Se aparecesse só nos relacionamentos conjugais, seria mais fácil entender. Mas aparece em todo lugar, principalmente quando estamos fragilizados.

Alice disse...

Olha!.. eu enalteço aqui o ciúmes!!
... pois o fez nos trazer uam canção que é só sua e a mais quem pertence.
O que há de mais belo do que uma declaração...?? Afirmação cheia de ar no peito, inflada de amor e desejo, para desconcertar e acabar com qualquer dúvida corriqueira.
Só mesmo para selar e firmar uma certeza, "sou sua pessoa minha"...rs
Que bom!!

Beijo grande....carinho
Alice

Ludimila disse...

Quem diz que não sente ciúmes ou está mentindo ou está reprimindo o sentimento. Ciúmes é instinto de sobrevivência (não os doentios, é claro).

O negócio é fazer como diz o Caetano: "Deixa o ciúme chegar. Deixa o ciúme passar. E sigamos juntos..."